domingo, novembro 27, 2005

arte lisboa 05

lxart17
Este é o meu grande trabalho do ano passado. Um auto-retrato com as minhas filhas em tamanho superior ao natural. Está na galeria 24b, stand A12. As meninas que estão a observá-lo são a Mónica e a Camila as fotógrafas das fotografias que se seguem tiradas com telemóvel. Divertiram-se imenso, muito mais do que eu que andei sempre a trás da Clara irrequieta e energética que apagou uma televisão no stand da Módulo e provocou sorrisos.
lxart16
lxart13
lxart12
lxart11
lxart10
lxart9
lxart8
lxart5
lxart6
lxart4
lxart3
lxart2
lxart1
lxart
lxart14
lxart15
lxart18
lxart19
lxart22
lxart20
lxart21

quarta-feira, novembro 23, 2005

Lisboa Arte Invisível

É já daqui a nada, a inauguração da Lisboa Arte. Sem divulgação. Anónima e desconhecida das pessoas ao contrário da ARCO de Madrid onde os portugueses esgotam hotéis e 'hostais', os professores de arte do secundário e superior organizam excursões. Uma verdadeira festa orgiástica da arte para o português. Agora nada...eu sei que a 'nossa'feira é pobre, fraquinha, as galerias não são seleccionadas como acontece na ARCO, portanto tudo ao molho sem distinção de qualidade, mas bolas, é a que temos!

sábado, novembro 19, 2005

euro-aborto

aborto1
Ana Gomes e outras eurodeputadas andaram aos empurrões e injúrias com eurodeputados polacos que fizeram uma exposição anti-aborto no Parlamento Europeu e que levianamente associavam imagens do Holocausto nazi (!) à interrupção voluntária da gravidez.
A cena acabou com a remoção integral da exposição.Boa Ana Gomes!

terça-feira, novembro 15, 2005

Via o Céu sobre Lisboa, andei nos blogues franceses Cité de France e este de homenagem ao Bouna um dos dois adolescente que morreram ao fugir da polícia, a ' gota de água' que despoletou a vaga de agressividade.
bouna
Kitsch suburbano com toda a força. Quité com k, jamais passa a jamé, kum kaneco. Atenção linguístas, isto está a mudar velozmente!

quinta-feira, novembro 10, 2005

domingo, novembro 06, 2005

rir

Depois de uma passagem deprimente pelo mundo através dos jornais e dos seus analistas que preconizam, indepentemente da comissão de honra dos candidatos a presidente a que pertencem,a tragédia do estado-providência,a derrota iminente da Europa sitiada pelos africanos e asiáticos pobres e esfomeados, mais a guerra civil de Paris, das duas uma: ou damos um tiro na cabeça ou rimo-nos.
jfs+carameelo
E ri, como nunca tinha rido ao receber este convite da exposição 'Não Chores Mais' comissariada por João Fonte Santa e António Caramelo.

NÃO CHORES MAIS PRETENDE ENTENDER O MUNDO ATRAVÉS DO HUMOR, COMO ARMA DE ARREMESSO AO DISPOR DO SOCIAL CONTRA A SUA PRÓPRIA RIGIDEZ, CONSIDERANDO-O COMO UMA VALIOSA FERRAMENTA PARA NOS AJUDAR A ANALISAR CONTRADIÇÕES, LIGAR DISTÃNCIAS E O INCOMPATÍVEL, POR FORMA A ENCONTRAR REALIDADES ALTERNATIVAS.
EM NÃO CHORES MAIS AVALIA-SE O HUMOR COMO MÉTODO DE COMPROMISSO E COMBATE SOCIAL EM TERMOS DE ESTRATÉGIA ARTÍSTICA, NÃO NO SENTIDO DA ARTE POLÍTICA, MAS NA REALIZAÇÃO DA ARTE POLITICAMENTE.

Plataforma Revólver
R. da Boavista, 84, 3º,Lisboa
inaugura a 11 de Nov,22h
terça a sábado:14h-19h30