sábado, setembro 30, 2006

Ops!

cartaz1

Deixei o carregador da máquina fotográfica no apartamento da artista, Carla Filipe, que fez este mapa de produção do Busca Pólos e portanto, fotografias da minha instalação no Apêndice, só quando o recuperar.
Entretanto segue a informação do Busca Pólos no Centro Cultural Vila Flôr, Guimarães, que reune trabalhos dos principais agentes da 'movida' artística portuense da década (00). Projecto com tentáculos até Coimbra: Parte II inaugura no próximo dia 21 de Outubro no Pavilhão Centro de Portugal, Coimbra.
Informação detalhada na sombra chinesa.
Detalhe:
Venho na lista dos artistas, mas riscada, com a anotação, desculpa à frente do meu nome. Ok, estão desculpados.






terça-feira, setembro 26, 2006

Projecto Apêndice

convite blog


apresenta

Em Obras
de

Alice Geirinhas


inaugura a 29 (sexta-feira) de Setembro pelas 18h00
até 14 de Outubro.



Em Obras, é um espaço interdito.

Em Obras é uma montra pintada de branco. Um espaço que nos é vedado temporariamente antes de se tornar habitado. Um espaço vazio, impessoal, mas cheio de vestígios da presença humana, onde desta vez, vou ser eu e não um operário anónimo, a marcar território.

E os vestígios vão ser vulvas, remakes de outras vulvas retiradas de um livro para colorir, CUNT COLORING BOOK, realizado em 1973 por Tee Corinne a partir de desenhos de observação de vaginas.

Em Obras é um ana-suromai, acto clássico de exibir os genitais femininos.


Projecto Apêndice
Projecto temporário, situado na loja n.º 100 – cave, no Centro Comercial de Cedofeita no Porto, gerido por Carla Filipe e Isabel Ribeiro. A programação estende-se por três meses, com a participação de sete artistas que dividem mensalidades e tempo de uma forma equitativa, dispensando a electricidade do lugar.
O espaço onde se apresenta é frágil, entregue a si mesmo, uma loja fechada que deixa o seu suposto comercial, para albergar projectos artísticos. O sentido de falência é intermitente, sendo a ordem natural de qualquer centro comercial que se vai reinventando numa tentativa de sobrevivência. Este conjunto de estabelecimentos torna-se dispensável no tempo exacto, fazê-lo existir pela emersão como suplemento é uma possibilidade.

quinta-feira, setembro 21, 2006

red shoes

Bays_RedShoes

Finalmente inaugurei a temporada 'mente sã num corpo são' e na cafetaria do ginásio,antes dos 100 abdominais, li no Público, um artigo acerca do estudo realizado pela Deco sobre a violência na escola. O espanto é a escola que está em primeiro lugar do ranking- a de dança do conservatório nacional. A escola de dança, a que forma os futuros bailarinos! mais violenta que as dos Olivais, Apelação, Camarate!!

A pressão psicológica é cruel. A Camila frequentou o ano passado (2 semanas), as aulas de dança dos alunos externos. Foi uma experiência horrível e traumática. Ainda chora quando se aborda o assunto. Como é alta e perna-longa, a professora resolveu integrá-la no 4º ano em vez do 3º, onde pequenos monstros vestidos de tutus cor-de-rosa, atacaram-na de imediato. A Camila não vinha de um ensino clássico, mas da dança criativa ( Forúm Dança que o ano passado não houve aulas para a faixa etária dos 7/9 por falta de inscrições) e torcidaram-na por não ter entendido uma pergunta de uma pespineta arrogante, sobre, penso eu, ballet clássico. Para mim, é claro, porque foi esta a ganhar o primeiro lugar no ranking da violência das escolas. Que sirva para o corpo docente e a associação de pais, reflectirem na metodologia e na pedagogia do ensino dos futuros bailarinos.

quarta-feira, setembro 20, 2006

Real Life

Ao vasculhar sobre o Movimento Nacional Feminino, encontrei esta pequena relíquia sobre a guerra colonial:
(...)Na mata, eles abriam as latas de atum e de salsicha à pancada, com a G-3 e com pedras, e muitas vezes eram detectados por causa desse barulho e sofriam emboscadas. Começámos então a enviar abre-latas.(...)

sexta-feira, setembro 15, 2006

Procura-se

Aulas de espanhol para crianças em Lisboa.
[por incrível que pareça, não consigo encontrar em Lisboa uma escola de línguas com espanhol para ninõs]

e aceitam-se sugestões de escolas privadas com 2 e 3º ciclo básico.


O Underworld vai de fim de semana passear-se pela história dos reis e rainhas de Portugal.

Andante

Este blogue parece um campo de lamúrias [podem ser amarelas].
Estive esta manhã na escola de S. José, a escola do Jardim do Torel. Ainda não sabemos quem são e como se organizam as actividades de enriquecimento escolar fornecidas por uma empresa desconhecida contratada pela CML. só sabemos que a escola não começa já, pois a CML resolveu fazer grandes obras na cobertura da escola com martelos pneumáticos esta semana. Foram de férias Julho e Agosto e nada como mais eficaz e apropriado fazer obras na semana de abertura do ano escolar. Obrigada pela competência , srs e sras dirigentes autárquicos.

O melhor desta semana foi a ida e volta ao PORTO!

Andámos de METRO [belas estações minimais bem ao gosto da escola do Porto]
DSCN1271

Fomos ao Via Catarina comprar uma camisola por causa do frio e da chuva.

Fomos à CASA DA MÚSICA
DSCN1287

A Serralves
DSCN1298
A Camila adorou as instalações da Fernanda Gomes e andava pé ante pé, com as mãos a apalpar o espaço, não fosse ela esbarrar nalguma coisa translúcida e invisível.
Ver arte com ela tem outro sabor e é bastante divertido.
Eu babei-me nas estruturas da GEGO ao som das exclamações de admiração da minha fiha pré- púbere.
O Bart Lodewijks fica para a semana.

quinta-feira, setembro 14, 2006

Portugal olé

Um grande artigo de opinião sobre a corrupção do FUTEBOL de um amigo de infância, que escreve com frequência para a rubrica Cartas ao Director, do Público.
Gosto particularmente desta passagem:


[...]Que os dirigentes não tenham formação à altura das circunstâncias é lamentável mas, enfim, compreensível. Muitos deles são pessoas do povo, formadas no calor da luta pela sobrevivência. Alguns mal sabem ler, outros mal sabem escrever pelo que as leis e as regras lhes fazem, com frequência, confusão. Mas juízes desembargadores e outros agentes da magistratura que se comportam como vulgares criminosos ou mafiosos de meia tigela é de todo intolerável [...]

Para ler tudo aqui.


agarra que é ladrão!

Elliot_Ness_car_600
O nosso INTOCÀVEL Elliot Ness, no papel de vereador determinado a apanhar os Al Capones autárquicos e as redes da corrupção, tornou público o desaparecimento de 1 milhão e 300 mil euros [plof,plof] da conta bancária da EPUL.
O caladinho e dissimulado Carmona Rodrigues, hein? Cabe-lhe igualmente a honra de no seu mandato ter sido extinta a Ilustração Portuguesa.

sexta-feira, setembro 08, 2006

Assim Não Dá!

Os tempos livres da escola de S.José eram geridos pela Associação de Pais e funcionava muito bem. Inglês desde o 1º ano, monitoras competentes, natação no Ateneu, dança e sobretudo confiança. Eu sabia que a Camila estava bem entregue e que praticava actividades que eu podia escolher.
Agora é a desconfiança e o receio. Desconfiamos do processo da reforma do ensino 'escola a tempo inteiro', porque não sabemos nada. Quem é a empresa de ATL contratada pela CML? Que actividades vão ter? A Câmara vai ter em conta o protocolo com o Ateneu?
Nos bastidores teme-se o pior. Teme-se que isto seja só um grande negócio para quem montou empresas desse ramo ( murmureja-se o nome de uma 'tia' escritora cor-de-rosa, amiga do poder laranja e com acesso privilegiado à informação) e que a qualidade e o bem estar dos nossos filhos seja uma questão menor.
Sabemos que só vamos ter 3 funcionárias para tomar conta de 160 crianças ( as nossas competentes monitoras que também tinham essa função vão à vida), além da limpeza das salas.

Ontem fiquei a saber pelo DN que depende das autarquias. Loures e Sintra, por exemplo, as Associações de Pais vão continuar a ter um papel importante na gestão das actividades, mas que em Lisboa as associações vão ser um mero 'apoio à família'.
Considera-se que nós, os portugueses, não nos organizamos em grupo e que não exercemos o nosso direito de cidadania devidamente e em plena consciência, mas quando de facto a exercemos e nos empenhamos para um fim comum, o bem estar dos nossos filhos, deitam-nos fora, como se não existíssemos.
Que queres, dizia-me uma amiga, se a CML fosse da cor do governo, as coisas corriam de outra forma. ******, assim não dá!


Img001

quarta-feira, setembro 06, 2006

O ranço

rex
Guerra à falta de higiene da nossa cidade. Primeiro ataque: comprar um produto bem português, um que possa integrar as caixinhas 'uma casa portuguesa'na mercearia mais popular do bairro e criticar a porcaria que tropeçamos diáriamente e que nos obriga sempre a olhar para o chão e nunca para o céu e enviá-lo para o Departamento de Higiene Urbana e Resíduos Sólidos (DHURS) da CML ou/e para a Direcção Municipal de Ambiente Urbano.

Segundo Ataque:

A precisar de uma limpeza profunda é o ainda não à venda nas bancas , semanário Sol.
Segundo o Público conta com a colaboração de crónistas super interessantes, Margarida Amarante, em Personalidades, Margarida Rebelo Pinto, Sexo e Relacionamento, Paulo Portas , Cinema e Livros, Marcelo Rebelo de Sousa, fait divers na actualidade. ao ler a notícia, pensei, acreditem, que era uma estratégia maquiavélica do Público anunciar o novo jornal com estes velhos néons fundidos, para pessoas como eu fugirem a sete pés de tal coisa rançosa.

segunda-feira, setembro 04, 2006

guerrilhas conceptuais

233665809_9cfddba6be_o


Já estás, finalmente linkado(!) Hugo e um grande bem haja para o trabalho da Guerrilha. O Invisible Red deixa-me [quase] sempre no rosto uma expressão de espanto. Se pudesse contratava-vos para uma campanha contra escarros, cocós e chichi na rua.... como a de Berlim sem Merda...

Já agora obrigado pelo interesse no blog Invisible Red, gostaria de saber se estás interessada em colocar um link do nosso blog no underworld.
Falo-te um pouco do blog invisible red, faz parte de uma agência de Marketing de Guerrilha, que procura comunicar de uma maneira diferente, deixando para trás os suportes tradicionais e estáticos, para nós não nos interessa o suporte mas sim a ideia. Em breve..espero ter o site da agência on-line.
Um bem haja para o teu trabalho, que conheço bastante bem.
obrigado

Hugo Tornelo

educar

Hoje , numa praia não vigiada, com quilómetros e quilómetros de areia, um cão fez cocó. Franzi o sobrolho e quase gritei para as donas do cão: então não apanham? mas retraí-me. Eram pessoas do campo. Simples, simplórias. Avó velhinha de bata tons de cinza aos padrões , mãe gorda em lista de espera para se operar às varizes, filha sereia sem celulite e filho ranhoso traquinas. Calei-me. Não devia.

sexta-feira, setembro 01, 2006

news

Exposição dos desenhos de guerra de Mazen em Lavapiés. Nuestros hermanos não perderam tempo.

rebuçados nos ouvidos

[...]vozes tão de gaze [...], sílabas de algodão que se dissolvem nos ouvidos à maneira de fins de rebuçado na concha da língua.

Se alguém teve uma bisavó, avó ou mãe do Movimento Nacional Feminino fica a saber que :

As senhoras do Movimento Nacional Feminino vinham por vezes distrair os visons da menopausa distribuindo medalhas da Senhora de Fátima e porta-chaves com a efígie de Salazar, acompanhadas de padre-nossos nacionalistas e de ameaças do inferno bíblico de Peniche [...].
Sempre imaginei que os pêlos dos seus púbis fossem de estola de raposa, e que das vaginas lhes escorressem, quando excitadas, gotas de Ma griffe e baba de caniche [...]


António Lobo Antunes, Os Cus de Judas, Edição Literária Lisboa: Vega, 1979