quarta-feira, janeiro 10, 2007

Portugal, país de brandos costumes II

aborto 9web

4 comentários:

O bibliotecário anarquista disse...

Boa Alice!...

Falta a última de Monção:

"Eu fui espancada pela minha mãe e atirada pelas escadas abaixo. Tinha dois anos e morri, sem perceber porquê?..."

Ou então da própria mãe psicopata:

"Se despenalizarem a interrupção voluntária da gravidez, corro o risco de não ter ninguém para atirar pela janela no ano que vem!"

É incrível como é que há pessoas tão fanáticas com o direito à vida intra uterina e tão indiferentes perante a barbarie. Tão indiferentes perante os direitos das crianças. Nomeadamente o direito a não morrerem espancados ou abandonadas. Gostava de ter uma estatística da brutalidade infantil em Portugal e compará-la com a média da UE (onde o aborto não é crime).
Bjo e força

alice disse...

ehehe, essa das escadas vai a caminho!

m.i.m. disse...

é uma bela campanha esta, em que estes fantasmas "burtonianos" nos falam do portugal que se esconde atrás do verniz dos bons/brandos costumes. o bibliotecário diz bem acerca da indiferença perante os direitos das crianças… há tantos episódios por aí.

Silvares disse...

O mundo é um lugar pouco saudável e então para putos que não era suposto andarem por aí...