quarta-feira, dezembro 27, 2006

Espiritismo

espirit web
Publicada na revista Pública para ilustrar um artigo sobre espiritismo. A tónica recomendada pela editora foi no sentido de evitar cair em clichés sobre o assunto. Difícil. O espiritismo para mim é comunicar com os mortos. Ponto. Em Portugal tem um não sei quê de glamoroso, foram interditados e perseguidos por Salazar. E tudo o que foi proibido ganha um sabor especial na História. É proibido proibir, pois claro! O outro desenho está aqui.

domingo, dezembro 24, 2006

Bom Natal

natal blog06
Apesar de poder ofender crentes de outras religiões e não-crentes, o UNDERWORLD prefere a politicamente incorrecta saudação, FELIZ NATAL.!

terça-feira, dezembro 19, 2006

quinta-feira, dezembro 14, 2006

Sim!

mãe
Este blog vai entrar em campanha pelo sim há despenalização do aborto.
Por uma saúde pública digna e adequada à sociedade contemporânea.

sábado, dezembro 09, 2006

madonna

pintura w
Mais um auto-retrato com as infantas C+C. Este tem já lugar reservado numa parede.
Faz parte de uma série baseada em pinturas renascentistas da Virgem e do Menino ( preferencialmente as representações da Virgem do Leite, para mim as da Mama) com um processo de trabalho que passa por fotografar as amigas mães a darem de mamar em pose semelhante á da pintura escolhida.

quinta-feira, dezembro 07, 2006

eu, eu ,eu (e o meu irmão)

eu e o meu irmão web
Toda a família na Pais e Filhos, entrevistada pela Sarah
A primeira foi a Camila na rúbrica O Mundo é Teu, a seguir o Jorge e a Clara num artigo sobre ser pai na segunda metade da vida e agora chegou a minha vez, na rubrica, Velha Infância. Eu e o meu irmão ( no Algarve?) por volta de 1967/68 a preto e branco.

quarta-feira, dezembro 06, 2006

O que aconteceu à Bedeteca?

Excerto da entrevista ao vereador da cultural da CML, José Amaral Lopes na Artecapital.net.

P: Mas no caso da Bedeteca, que tem iniciativas com um reconhecimento internacional, não subsiste o problema de não haver um orçamento que lhe permita ter uma actividade regular? No caso do Museu da Cidade eu não me referia a ter exposições permanentes, mas temporárias com uma programação coerente…

R: O problema é que não vale a pena estarmos a fazer as coisas em cima do joelho. A Bedeteca e outros equipamentos têm de ser reorganizados, e quando se tem de estabelecer prioridades há essas falhas.
Em termos de necessidades da cidade hoje em dia, um decisor político e público deve estar atento a esta dinâmica. isto é, se a Câmara se fechar, se olhar só para o seu umbigo e para a programação autónoma, ficando alheia a tudo o que se passa à sua volta, alheia à dinâmica dos galeristas, dos criadores e das grandes exposições internacionais, poder-se-á dizer: “Tem a sua programação, está a fazer o seu papel”. Mas não está a responder à dinâmica da sociedade e da comunidade em que está inserida. Não deve olhar só para o bom funcionamento dos seus equipamentos do ponto de vista interno, mas ter capacidade de não inviabilizar ou, pelo menos, de não dificultar; deve facilitar, promover.
A conciliação desses dois objectivos, quando os meios não são suficientes para todos, dificulta a gestão de um ou de outro, por isso muitas vezes acontecem falhas. Tenho plena consciência de que há muita coisa que deveria fazer melhor, mas quando não é possível e temos de optar, depois de ouvir e de me reunir com muitas pessoas, incluindo os próprios agentes, tenho tomado decisões que, às vezes, são inevitáveis, porque o prejuízo é irrecuperável.
A mostra de colecções da própria Câmara, o estabelecimento de uma programação regular, mesmo que se atrase, tem tempo e nunca perde oportunidade de vir a ser concretizada. Mas o que é irrecuperável, porqu essas coisas não se repetem, é perder-se uma exposição internacional, perder-se a dinâmica do mercado, não estar atento àquilo que os agentes e o sector fazem, passarem os anos sem se dar resposta a isso.
(....)


A confinidade da Bedeteca, além do claro desinvestimento no equipamento, é sobretudo na indefinição de objectivos, de estratégias e de enquadramento da sua acção e programação nas directrizes gerais da área na cultura da CML.
Exemplo:
O problema dos livros de banda desenhada encaixotados, foi resolvido temporariamente, em cima do joelho ( para citar uma frase de José Amaral Lopes) transformando uma das salas de exposição em biblioteca, e será certamente o destino da outra sala de exposições quando os caixotes se multiplicarem de novo. A Ilustração Portuguesa foi extinta sem nenhuma explicação dos responsáveis políticos e sem nenhuma aviso da parte da coordenação, não foi só ao nível do investimento financeiro que a Bedeteca perdeu terreno, o mais grave foi a sua perda de autonomia e capacidade de decisão, relativas até a pequenos gestos como um envio de um e-mail explicativo sobre o que aconteceu à Ilustração Portuguesa.
Bedeteca vai sim, continuar a trabalhar em cima do joelho, ao sabor do que aparece, sem objectivos nem estratégias. A tentar apenas manter a cabeça de fora. E sei que não é pouco.

segunda-feira, dezembro 04, 2006

Porta fantasma

fantasma
Tinha esta foto guardada no telemóvel, e ilustra o olhar perceptivo de uma outra realidade, a da Clara. Esta é a porta da nossa casa. e pensei que tinha uma filha com poderes paranormais, quando ela apontou para o vazio e disse: um fantasma!
-Um fantasma? Aonde?
-Ali!
-Onde?
-Aqui!
-A porta?
-Sim.
E disse-me onde estavam os olhos e o nariz. Boca não tinha, este fantasma.

terça-feira, novembro 28, 2006

terça-feira, novembro 14, 2006

desenho

eflyer01
Uma exposição de desenhos de João Fazenda e uma visita ao site não interactivo de Olaf Breuning é a proposta do Underworld desta semana, antes de mergulhar também no desenho e de ficar em pause, apesar do vício dos news posts.

Calquitos, inaugura na próxima sexta-feira às 18h no novo espaço dedicado ao desenho e ilustração:
WORK&SHOP
rua das pedras negras 17 ; 1100-401 lisboa (entre a rua da Madalena e a Sé)

OLAF
O site do Olaf é uma vertigem de moradas que temos de teclar para chegarmos aos sítios. Nada é interactivo. Só para chatear.

domingo, novembro 12, 2006

My privates films #2

A morte da mãe
DSCN1520
DSCN1521

e os filhos da raiva.

DSCN1519
DSCN1522
The Brood, David Cronenberg 1979

('Os meus filmes privados' é uma nova rúbrica do underworld)

terça-feira, novembro 07, 2006

até já

ArteLisboa
A feira é a feira, o mais interessante é a programação dos debates e claro, a festa da arte capital. Entretanto vou para o Norte seguir de perto os debates sobre os Anos 80 que inaugura na próxima sexta-feira em Serralves. Ontem, encontrei por acaso, o jornal de uma outra exposição sobre os Anos 80, que esteve na Culturgest em 1998, comissariada por Maria de Corral e onde vi pela primeira vez 'O curso das coisas', filme de Peter Fischl e David Weiss.

...e num deserto pontuado com alguns oásis esporádicos não é que nesta semana da Arte Lisboa, todos se lembraram de realizar debates sobre arte em vários pontos do país? Porto, Lisboa e até (!) Montemor-o-Novo, ou seja quem estiver no Porto não está em Lisboa e também não está em Montemor, só se formos de jacto de debate em debate...
...

quinta-feira, novembro 02, 2006

My private films

gena
winona
Três caixas de Jim Jarmusch irresistíveis, os filmes de culto dos anos 80 e príncipio de 90: Permanent Vacation,Stranger Than Paradise, Down By Law,Mystery Train, Night on Earth, Dead Man, com os actores e músicos cúmplices de Jarmusch, John Lurie e Tom Waits
tom2
tom
Quando se revê os anos 80 nas artes plásticas, nada como rever Jarmusch...
( e o puto japonês rockabilly, que só fotografava hotéis e aeroportos, porque se esquecia de não-lugares)...Porque é que não fotografas paisagens?- pergunta- lhe a namorada num hotel em Menphis (in Mystery Train).

quarta-feira, outubro 25, 2006

achado arqueológico

teleoo
Encontrei a pasta fetiche que contém os meus desenhos do JARDIM ESCOLA, portanto final da década de 60...alguns dos meus amigos eram bebés, outros já sabiam ler e outros muito longe de nascer. Para quem gosta da cena vintage, aviso já que não estão à venda. Nem a mala Teleóó!
;-)
alice68
Parecem os meus, comentou a Camila. Será a representação infantil mais ou menos constante?

segunda-feira, outubro 23, 2006

Mutt & Jeff

r.mutt
- Voltando aos seus ready-made, pensava que R. Mutt, a assinatura de Fountain, era o nome do fabricante. Mas, num artigo de Rosalind Krauss, li o seguinte: R. Mutt , a pun onj the German, Armut, or poverty. Pobreza, o que mudaria por completo o sentido de Fountain.
- Rosalind Krauss? A ruiva? Não é nada disso. Pode desmentir. Mutt vem de Mott works, o nome de uma grande firma de instrumentos de higiene. Mas Mott era muito próximo, por isso o transformei em Mutt, porque havia umas bandas desenhadas publicadas então diariamente, Mutt and Jeff, que toda a gente conhecia. (...) E acrescentei Richard...Richard estava bem para um urinol! Veja, é o contrário de pobreza ...Mas acabou por nem sequer isso chegar a ser, e ficou R. sem mais nada: R. Mutt.

in As regras da Arte, Bourdieu, Pierre, pág 202

quarta-feira, outubro 18, 2006

céu guarda

conviteonline
É já amanhã a inauguração da Céu Guarda, Os Outros, na [KGaleria]. ao Bairro Alto, no (já) mítico espaço onde funcionou há 11 anos a ZDB.
[KGaleria]
4ª a Sáb das 15h às 20h
RUA DA VINHA 43A
1200-475 LISBOA
PORTUGAL
e de passagem pelo Bairro não esquecer de ver RIGO, na ZDB.

terça-feira, outubro 17, 2006

fashion BURKA

iemanjá
Pensei: olha uma burka feita de misangas e lantejoulas para dias especiais, mas não, é a Iemanjá, a deusa dos mares, numa loja cheia de búzios, plantas e santas no Bairro das Colónias. Mesmo a propósito.

domingo, outubro 15, 2006

Clara

clara web
Humana, género feminino, dois anos.É caprichosa e vaidosa. Gosta de leões, tigres e línguas de gato. Chora, guincha, corre e saltita, mas o seu desejo é de poder voar como as moscas, pássaros e borboletas.
Outras possibilidades aqui.

sábado, outubro 14, 2006

a/o

girlboys
Como não tenho a certeza, passei o blog do/a merdinhas para o link do 3º sexo.
Aceitam-se sugestões.

quarta-feira, outubro 11, 2006

Farol dos Sonhos

Convite
É hoje a inauguração do Farol dos Sonhos, encontro de sobre o livro e o imaginário infantil. Decorre até domingo. A não perder, sobretudo a exposição do Katsumi Komagata e também, a colectiva temática dos portugueses, Animalaminute. O meu animal chama-se Clara. Toda a informação aqui.

OUT-LUX

Img124#1
camila

Depois de uma produção que incluíu aluguer de roupas e chapéu no Retro Paradise (5*), de um jantar surreal no Luca com a Julieta dos Espíritos, dois manfios corruptos do pior e uma chica muita gira, desistimos da festa, após hora e meia numa fila que não avançava. Assim a festa Fellini/Almodóvar, resumiu-se a estarmos ali parados a ver os outros passarem até ficarmos chateados. Fomos beber um copo ao velho Artis. Sossegados. E para a Julieta tudo não passou de uma ilusão. Illusio, eheheh! pois claro. Ou como pergunta o outro: a realidade é real?

Img125
camila

De qualquer forma combinámos ir à festa na próxima terça!