quarta-feira, janeiro 11, 2006

arte e poder e o poder da arte

No meio da tempestade cultural com raio e coriscos no D.Maria I, no CCB, no Museu do Chiado, nos livreiros, e-mails a apelar aos artistas o fim da indiferença e a demissão da Ministra, inaugura amanhã, ironicamente uma exposição da colecção de Serralves na Assembleia da República chamada ' O Poder da Arte' que era para se ter chamado, ' Arte e Poder', título censurado, por um funcionário topo de gama da república que achou certamente, no alto da sua sabedoria e lógica política que caía mal nos corredores do poder uma reflexão sobre si próprio. O Poder da Arte e Arte e Poder têm significados e discursos diferenciados.
São coisas diferentes. Assim não há velas que nos salvem!

2 comentários:

autor disse...

por acaso era para se ter chamado "A Arte ao Poder" e, ao que sei (e sei), não foi censurado: é que "O Poder da Arte" é exactamente o que se quer mostrar. Ela tem poder de ser convidada a ser mostrada nos corredores de um dos nossos orgãos de soberania. Mais: se estiver atento, e ler o que se tem escrito sobre a exposição, vai ver que NADA foi censurado. Basta ver as obras altamente provocatórias colocadas sob o nariz dos deputados, ministros e presidentes. Aconselho uma visita à exposição - excelente e feita sem censura e sem interesses políticos à mistura. É mesmo só arte, para o "povo".

alice disse...

obrigada por ter comentado. sim já estive por lá na inauguração e vou lá voltar com as meninas para elas poderem correr pelos corredores da Assembleia! Nunca tinha entrado naquele convento, é muito bonito.Quanto à censura e ao interesse político, podem tomar várias formas, até a da aparente inexistência.