sábado, maio 06, 2006

Censura

Imagem 1
Desenhando em terços

Este pénis crucifixo da artista plástica brasileira Márcia X ( 1959-2005) foi a causa do cancelamento por parte da direcção do Banco do Brasil, da exposição Erótica - Os Sentidos na Arte em Brasília no Centro Cultural do Banco do Brasil e que está a agitar o meio artístico brasileiro e a minha caixa de e-mail.
A direcção do Banco do Brasil cedeu aos 800 e-mail de protesto que recebeu após a inauguração, por parte de um grupo católico, Opus Christi, aos telefonemas da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) para os directores do banco que ameaçaram incluir a questão da obra de Márcia X nos seus sermões. Outros grupos religiosos fizeram ameaças de encerrar contas e promover um boicote ao BB.
Pura coincidência, a semelhança com os cartoons de Maomé? O que separa e o que reúne os radicais islâmicos a estes radicais católicos?

Para assinar a petição, Censura Não, é aqui. (Obrigada Ju)

4 comentários:

Silvares disse...

Quer-me parecer que o que separa os fundamentalistas de um lado e do outro é, simplesmente, o nome que dão a Deus.
No resto são muito parecidos. O enquadramento social é que é, também, diferente. Daqui por 200 anos os fundamentalistas islâmicos hão-de ter que engolir muitas das patranhas com que hoje infernizam a vida dos outros.

João Carlos Rocha disse...

quem banca as exposições do CCBB, somos nos correntistas e temos o direito de não concordar com algumas obras em especifico e manifesstar a nossa opinião de correntistas ao Banco, quue num pograma de relacionamento om os clientes pode ou não aceitar as nossas criticas.

Até a data de hoje, porque a campanha contra esta exposiçãonão acabou, já estamos em quase 9.000 correntistas em todo Brasil que estamos contrários a esta Obra.

Ja se somam em media de 450 empresas que se somaram as nossas fileiras.

Acredito que isto seja democracia e não censura. Em momento algum foi solicitada o cancelamento da esposição, pedimosa retirada dos objetos esimbolos de uso exclusivo da Fé Católica.

Vivemos numa democracia, e numa democracia o direito coletivo da maioria deve ser respeitado.

E baseado neste direito, temos a opção de financiar ou não determindas manifestações culturais.

Nada mais democratico e justo do que deixar de ser cliennte de uma empresa que não possui afinidade com o nosso sentmento pessoal.

Querer impor o contrário, é uma ação autoritária e por mais que vcs nos acusem de autoritarios, não fizemos nada mais do que manifestar nosso interesse de mudar de instituição bancaria.

E neste aspecto queremos ser respeitados em nossa opinião, assim comotodos são livres para manifestar-se ao contrário...o qu aconteceu os artistas não possuem contas correntes ou não estao conseguindo o apoio de todos os segmentos da sociedade brasileira.

Lembramos que a nossa petição, contra a Obra, já se encontra em número de mais de 548 mil Btasileiros enão se trata de assinaturas on line, facilemnte manipuladas, são assinaturas reais, assinadas de próprio punho, coletadas nos bairros, nas paróuquias e em todas as classes sociais..isso é democracia.

PS. espero que em nome do senso critico, esta msg seja ublicada, não há nenhum termo de baixo calão ou outra coisa que lhe valha uma CENSURA

Adriana Veloso
Opus Christi - Brasil

alice disse...

É o teu movimento católico que é perigosamente fundamentalista e opressor não este blogue!

Lua disse...

alice, concordo com vc...
se temos o direito de ver o que quisermos, e pensar o que quisermos, porque não temos o direito de expor isso onde quisermos?
quer dizer... a exposição, à primeira estancia foi aceita então...
é hipocrisia dizer que cada um tem "o direito de se manifestar" e fazer parte de um movimento que impeça alguém de ter esse direito (direta ou indiretamente).

alias... alguém ja ouviu aí falar do absurdo que um certo deputado quer fazer com relação à exibição do filme "codigo Da Vinci" ?
é... está no mesmo patamar.

no findo, acho que isso é um censura disfarçada de outra "palavra", pq quer impedir as pessoas de verem algo. ora, se não gosta da exposição ou do filme, fique em casa e fale para os seus filhos (ou quem quer que interesse) não frequentwrem esses lugares. deixar os outros se expressarem é democracia tbm, além de respeito (ninguém tem que pensar igual à ninguém)